Fechar
Abrir

Alvaiázere redescobriu o chícharo para dinamizar economia

Alvaiázere, no norte do distrito de Leiria, investiu desde 2003 no chícharo para impulsionar a economia local e os responsáveis concelhios dizem-se satisfeitos com a aposta nesta leguminosa, já que os ganhos têm sido transversais, da agricultura ao turismo.

“O chícharo é o produto âncora do município de Alvaiázere. É hoje uma marca, que muitos já relacionam de forma natural ao concelho, permitindo valorizar todo um conjunto de produtos endógenos associados ao território e que são transversais a vários setores económicos que vão desde o primário, como a produção agrícola, ao dos serviços, por exemplo, na área do turismo”, reconhece a presidente da Câmara (PSD), Célia Marques.

A importância dada a esta leguminosa, que pode ser encontrada um pouco por todo o mundo, desde a bacia do Mediterrâneo à China, passando pela Índia ou África, levou à criação da Confraria do Chícharo, a 28 de julho de 2010.

“A Confraria do Chícharo tem por fim a promoção do estudo, preservação e divulgação do património gastronómico de Alvaiázere, bem como a sua ligação com a arte, artesanato, ciência e literatura. Esta instituição tem-se assumido como um dos principais vetores de promoção do chícharo e da cultura” local, sublinha Célia Marques.

Pão, gelados, bombons e doces diversos, como tartes, azevias, pudins, pastéis ou, ainda, o licor de chícharo são exemplos do uso desta leguminosa em Alvaiázere.

Segundo a autarca, a marca “Alvaiázere Capital do Chícharo” é hoje de “extrema relevância para o concelho”, uma vez que “tem permitido valorizar os recursos do território alvaiazerense, seja património gastronómico, histórico, cultural, natural, entre outros”.

Por isso, Célia Marques considera que a “estratégia de marketing territorial que está a ser prosseguida encerra um enorme potencial, que já começou a gerar investimento no concelho, mas que poderá possibilitar e atrair muito mais”.

O consumo de chícharo no concelho, e na região em que Alvaiázere se insere, é um hábito de gerações antigas, mas que havia caído em desuso. Dois cidadãos de Alvaiázere radicados em Lisboa desafiaram o município a promover um festival em torno desta “singularidade da região, demonstrativa da sua identidade própria, e, em 2003, nasceu o Festival Gastronómico do Chícharo, sendo que a sua primeira edição representa o momento em que esta leguminosa passou a assumir-se enquanto ícone da gastronomia local”, explica a presidente do município.

Para Célia Marques, “não é fácil quantificar o peso da aposta na marca ‘Alvaiázere Capital do Chícharo’ na economia concelhia”, mas “é inegável o surgimento de diversas ideias de negócio associadas aos recursos endógenos do concelho, que estão, sem dúvida alguma, relacionados com a estratégia de marketing territorial que o Município de Alvaiázere tem promovido e no estímulo de um mercado de procura dos recursos endógenos do concelho”.

Na última edição do Festival Gastronómico do Chícharo participaram “cerca de duas centenas de empresários do concelho e da região”, num certame que recebeu milhares de visitantes.

A contabilização é “difícil de se efetuar, visto que a entrada no recinto é livre, não havendo qualquer tipo de barreira ou de condicionamento no acesso ao mesmo que permita contabilizar o número de visitantes”.

Mas, segundo a autarca, “foram seguramente vários milhares de pessoas, numa tendência de consolidação e de crescimento de ‘Alvaiázere Capital do Chícharo’ que já se verifica há vários anos”.

O chícharo é uma planta que, pela sua rusticidade, se adapta muito bem a solos menos férteis. “O concelho de Alvaiázere tem uma parte muito significativa do seu território com características de serra, integrando o maciço da Serra de Sicó, com solos pedregosos e áridos”, lembra Célia Marques.

Neste sentido, o “cultivo do chícharo no concelho é secular, tendo surgido de forma natural, como uma planta perfeitamente adaptada ao solo e clima de Alvaiázere”.

Esta leguminosa em grão produzida em vagem possui carboidratos que garantem energia para o funcionamento do corpo e do sistema nervoso, e também proteínas, que são “construtoras de tecidos” no organismo.

Em termos de características nutricionais possui alto teor de ferro, vitaminas tipo B e fibras.

Voltar atrás