Fechar
Abrir

Expofacic, a feira que há 25 anos projeta Cantanhede

A feira agrícola, comercial e industrial de Cantanhede (Expofacic) leva 25 anos de vida e é já considerada a maior da região centro e das maiores do país, com meio milhão de visitantes em cada uma das últimas edições.

Promovida por uma comissão organizadora que reúne elementos da Câmara Municipal e empresa municipal Inova, a Expofacic tem na sustentabilidade uma das principais características, já que consegue gerar receitas próprias para fazer face às despesas.

No final da 25.ª edição, em 2015, a organização anunciou “resultados em linha com os das últimas edições”, aludindo aos 500 espaços de exposição e cerca de 50 tasquinhas dinamizadas por coletividades, juntas de freguesia e associações locais e cerca de meio milhão de visitantes que passaram pelo recinto de 93 mil metros quadrados, com sete palcos e outros espaços de lazer e animação.

No balanço da edição comemorativa dos 25 anos, o autarca de Cantanhede, João Moura, que preside à comissão organizadora da feira, frisou que a Expofacic “evidenciou uma dinâmica extraordinária em todas as vertentes, tendo atingido um nível qualitativo que reforça o estatuto de maior e melhor feira de atividades económicas do país”.

Para o autarca, a chave desse estatuto “não é segredo para ninguém”, resultando “da forte mobilização de todos os intervenientes e do excelente trabalho desenvolvido por uma equipa unida, determinada e absolutamente profissional em tudo aquilo que faz”.

O certame nasceu em 1991, uma aposta do então presidente da Câmara, Albano Pais de Sousa, que, de acordo com o relato disponível na página oficial da Expofacic, justificou na altura a iniciativa “pela necessidade de abrir as portas aos produtores agrícolas, comerciantes e industriais do concelho, para cumprir o objetivo pioneiro de transmitir para o exterior as potencialidades de Cantanhede”.

A feira decorreu num espaço anexo a uma escola secundária e atraiu, no ano de estreia, cerca de 50 mil visitantes.

A partir de 1994, já com Rui Crisóstomo na presidência da autarquia, a Expofacic mudou-se para o parque desportivo de São Mateus, onde hoje ainda permanece, mudando igualmente de data (de setembro para finais de julho/início de agosto, coincidindo com as festas concelhias).

De acordo com a mesma fonte, 1998 marca uma “viragem” na organização da feira, com uma aposta na promoção fora de Cantanhede, novas infraestruturas e um cartaz de espetáculos capaz de atrair um maior número de pessoas: cerca de 105 mil responderam à chamada nesse ano, o primeiro de Jorge Catarino como presidente da autarquia.

O número de visitantes subiu exponencialmente nos anos seguintes (de 165 mil no ano 2000, passou para 310 mil em 2004 e 408 mil em 2009), continuando a crescer, também devido ao cartaz de espetáculos recheado de nomes sonantes do panorama nacional (Xutos e Pontapés, Tony Carreira ou Rui Veloso, entre outros) e internacional do rock e pop como Daniela Mercury (2003), Scorpions (2004), Simple Minds, Ivete Sangalo, Whitesnake, Nelly Furtado ou Bob Sinclair, culminando com a primeira atuação dos britânicos James (2009, repetentes em 2015) e de outros nomes como Keane, Joss Stone, Steve Aoki, Mika, Kaiser Chiefs, James Blunt ou Morcheeba, entre outros.

A edição de 2016 da Expofacic, agendada para o período de 28 de julho a 07 de agosto, 11 dias onde se incluem dois fins de semana, para manter, segundo a comissão organizadora, a dinâmica própria da feira, “associada à transição dos meses de julho e agosto, no pico do verão, fase que normalmente regista a maior afluência de emigrantes”.

Voltar atrás