Fechar
Abrir

Ponte internacional aproxima Figueira de Castelo Rodrigo e La Fregeneda

A construção da ponte internacional sobre o rio Águeda, inaugurada no ano de 2000, aproximou os habitantes das localidades de Barca d’ Alva, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, e de La Fregeneda (Espanha).

A ponte rodoviária entre Portugal e Espanha, que custou 3,1 milhões de euros, permitiu concretizar um sonho antigo dos residentes de ambos os lados da fronteira que estavam separados pelo afluente do rio Douro.

Inaugurada no dia 27 de julho de 2000, foi paga pelos governos dos dois países, em partes iguais, que acordaram a sua construção com a celebração de um convénio.

O acordo, assinado em Madrid (Espanha), em 18 de janeiro de 1996, definia que a elaboração do projeto da ponte, a adjudicação, a execução e a direção da obra competiam ao Governo espanhol, em concertação com o Governo português.

“A construção da ponte, um anseio antigo das populações daquela zona raiana, veio dirimir uma fronteira que se impunha aos habitantes das duas localidades: do lado espanhol La Frejeneda e do lado português Barca d’Alva”, diz Carlos Condesso, ex-vereador com o pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo.

Segundo Carlos Condesso, que atualmente também desempenha as funções de vereador da oposição (PSD) na mesma autarquia, a obra veio facilitar a mobilidade dos habitantes dos dois lados da fronteira.

“A mais-valia da ponte verificou-se, acima de tudo, no estreitar de ligações entre as comunidades portuguesa e espanhola, facilitando a mobilidade de pessoas e bens, ao permitir um contacto de proximidade que até então estava dificultado”, assinala.

Embora reconheça que as repercussões da obra “para o aumento de fluxos turísticos terão, certamente, ficado aquém do expectável, por motivos vários”, o autarca acredita que “a implementação de uma estratégia mais concertada entre as entidades responsáveis poderá, num futuro próximo, capitalizar o potencial deste eixo de ligação, captando mais fluxos turísticos e, com isso, gerar mais riqueza” para a região.

“Também com a recente notícia do investimento da Diputación de Salamanca [Espanha] na requalificação, para fins turísticos, da ligação ferroviária entre La Fregeneda e Barca d’Alva (17 quilómetros), estou convicto de que se vislumbra um horizonte de oportunidades para o aumento dos turistas e visitantes, tendo em conta que as duas ligações podem ser complementares”, aponta o autarca.

Carlos Condesso espera que “haja, para isso, vontade e empenho”, por parte das entidades competentes.

“Estou certo que este projeto vai dinamizar o turismo e criar emprego e riqueza neste território de baixa densidade, mas de elevadíssimo potencial turístico. As Arribas do Águeda, o Douro, as Amendoeiras em Flor, o património cultural e histórico e a gastronomia são bem exemplo disso”, refere.

O vereador considera, assim, que “este é o momento oportuno” para os governantes, “juntamente com as entidades de turismo da região e o município de Figueira de Castelo Rodrigo, reivindicarem também um projeto semelhante para a linha entre Barca d’Alva e o Pocinho, que se encontra desativada desde 1987”.

Voltar atrás