Fechar
Abrir

Ponte Vasco da Gama transformou o Montijo numa nova centralidade

A ponte Vasco da Gama, que liga o Montijo a Lisboa, foi inaugurada em 1998 e transformou o concelho da margem sul numa nova centralidade regional, invertendo a tendência que se registava de perda de população.

“A ponte Vasco da Gama criou novas oportunidades e colocou o Montijo como uma centralidade. Trouxe desenvolvimento, criou transformações profundas a nível económico e social e abriu novos horizontes”, diz à Lusa Nuno Canta (PS), presidente da Câmara do Montijo.

A ponte Vasco da Gama, que tem mais de 17 quilómetros, surgiu como uma alternativa à ponte 25 de Abril na ligação entre a margem sul e Lisboa, num investimento de 897 milhões de euros, tornando-se na maior ponte da Europa e uma das maiores do mundo.

“O Montijo passou a ser uma das cidades mais atrativas de Portugal. Antes da ponte registava-se um decréscimo populacional, como acontecia em outros concelhos vizinhos, mas com a ponte inverteu-se o ciclo e crescemos 18,2%, segundo dados do INE”, refere.

Além do crescimento populacional, a nova ponte foi também importante para o desenvolvimento económico, crescimento urbanístico e para a atração de investimentos.

Nuno Canta, que na altura fez parte da comissão de acompanhamento da obra, lembra que existiram algumas preocupações, em especial ambientais.

“Existiam muitas preocupações, mas penso que esta comissão ajudou a resolver muitos problemas, como o tratamento de águas do tabuleiro da ponte e as Salinas do Samouco, e posso dizer que não vejo os aspetos negativos de que se falava”, salienta.

O autarca lembra também o papel histórico do Montijo na ligação com a capital.

“O Montijo era o principal cais de ligação da Península Ibérica a Lisboa e, no seculo XVIII, tínhamos aqui as cinco melhores estalagens do país. A ponte seguiu este desígnio histórico, de ligar o Montijo a Lisboa”, defende.

Nos dias de hoje, Nuno Canta refere ser necessária uma nova entrada do Montijo para a ponte, para resolver problemas de tráfego, e que é preciso resolver a questão da gestão das Salinas do Samouco, admitindo que o novo aeroporto complementar no Montijo pode ser a solução.

“O novo aeroporto, a confirmar-se, pode ser uma oportunidade para resolver estes problemas. A ponte Vasco da Gama cumpriu os seus objetivos, parabéns a todos os que a pensaram e concretizaram”, conclui.

Dias antes da sua inauguração, a ponte Vasco da Gama bateu um recorde do Guinness, juntando cerca de 15 mil pessoas, numa mesa cinco quilómetros de extensão, para a maior feijoada do mundo.

 

Voltar atrás