Fechar
Abrir

Praias fluviais são o principal ativo turístico de Proença-a-Nova

As praias fluviais de Proença-a-Nova foram, desde meados da década de 1980, a primeira oferta turística do concelho e ainda hoje são consideradas o seu principal ativo, do qual beneficia a restauração e a hotelaria da região.

São um dos atrativos turísticos de Proença-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, e nasceram do aproveitamento cuidado das linhas de água que cruzam o concelho.

Aldeia Ruiva, Fróia e Malhadal constituem a rede de praias fluviais de Proença-a-Nova, valorizadas pela moldura natural e servidas por equipamentos construídos com a preocupação de preservar a identidade dos locais, recorrendo a materiais como o xisto e a madeira.

“Foram, provavelmente, a primeira oferta turística do concelho. E é um projeto transversal a quatro presidentes de Câmara e todos entenderam isso como prioritário. E essa aposta estratégica acaba por dar resultados”, recorda o ex-presidente da Câmara local, João Paulo Catarino.

O antigo autarca, que atualmente integra a recém-criada Unidade de Missão Para a Valorização do Interior, não tem quaisquer dúvidas em afirmar que as praias fluviais de Proença-a-Nova são a primeira oferta turística e constituem um dos principais ativos do setor no concelho.

“São uma das principais razões para as pessoas, sobretudo no verão, se deslocarem para Proença, altura em que a restauração e a hotelaria beneficiam desse efeito”, diz.

Os açudes do Malhadal, Aldeia Ruiva e Fróia foram inicialmente construídos com a função de regadio. Contudo, com a redução das áreas agricultadas, ou mesmo o abandono das atividades agrícolas, estes espaços proporcionaram condições para a criação de unidades balneares capazes de atribuir a munícipes e visitantes momentos de lazer diferenciadores, usufruindo de cursos de águas puras e cristalinas e da beleza cénica da sua envolvente.

Pela sua natureza, condição geográfica e atributos diferentes entre si, estas praias têm apresentado, desde sempre, u28ma intensa utilização durante a época estival.

A partir de 2011, as praias fluviais de Fróia e Malhadal, todas vigiadas por nadadores salvadores durante a época balnear, ganharam ainda mais alento com a atribuição do galardão de Praia de Ouro, por parte da Quercus.

Além disso, possuem circuitos pedestres associados, com sinalética de grafismo municipal, aos quais se denominou “Trilho da Praia” que, além de facultarem a incursão pela natureza envolvente, permitem uma ocupação diferente dos tempos livres passados nestas estruturas.

O atual presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Lobo, corrobora a ideia de João Paulo Catarino e afirma que as praias fluviais foram, “sem sombra de dúvida”, um dos principais impulsionadores do turismo no concelho.

“Na altura em que surgiram, não havia na região a mesma oferta ao nível de praias fluviais que existe hoje e, talvez por isso, tenham sido tão importantes na dinamização de serviços adjacentes, ao nível da restauração e alojamento local, por exemplo”, diz.

O autarca adianta que o concelho beneficiou desta oferta que o município acabou por alavancar, criando novas valências complementares no chamado turismo de natureza.

“O turismo é uma das áreas que potencia uma região. Nesse sentido, apesar de termos agora outras infraestruturas, igualmente atrativas no concelho, continuaremos a investir na valorização das nossas praias fluviais, porque são uma importante mais-valia, não só para os turistas que nos visitam, mas também para os residentes que privilegiam cada vez mais a sua qualidade de vida”, conclui.

Voltar atrás