Fechar
Abrir

Velódromo Nacional é “a joia da coroa” de Anadia

O Velódromo de Sangalhos é a “joia da coroa” do investimento público em Anadia nos últimos 30 anos, mantendo viva a tradição do ciclismo, impulsionando a economia local e levando longe o nome do concelho.

“Nenhum outro equipamento teve um impacto tão grande na vida das pessoas do concelho”, resume a autarca Teresa Cardoso, que preside a uma câmara que soube, como poucas, aproveitar as verbas disponíveis no último Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) para se modernizar, tendo recolhido 48 milhões de euros em cofinanciamento de projetos no período de 2007 a 2013.

O Velódromo Nacional de Sangalhos, que mais tarde viria a acolher um centro desportivo de Alto Rendimento (CAR), foi inaugurado em setembro de 2009, numa cerimónia que teve um convidado especial: Alves Barbosa, antiga glória do ciclismo nacional, primeiro homem a vencer três vezes a volta a Portugal em bicicleta, primeiro português a ficar nos dez primeiros lugares do Tour de France, ciclista do Sangalhos Desporto Clube (SDC) durante três décadas.

Aos 77 anos, Alves Barbosa voltou a sentar-se numa bicicleta de competição e numa pedalada vigorosa percorreu 500 metros correspondentes a duas voltas à pista oval do Velódromo. Ao cruzar a linha de meta, sob o aplauso de convidados nacionais e estrangeiros, Alves Barbosa encerrou a história da construção do equipamento, iniciada mais de uma dezena de anos antes, e abriu um novo capítulo na história de Anadia e no ciclismo nacional.

“No Velódromo desenvolve-se a essência do ciclismo”, garante o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), Delmino Pereira, que nos últimos anos contribuiu para “tornar Anadia a capital do ciclismo nacional”. Delmino lembra que o Velódromo “serve de casa” às seleções nacionais da modalidade e a diversas equipas estrangeiras.

“Graças às condições excecionais do Velódromo, Portugal tem estado na primeira linha da competição e treino”, garante Delmino Pereira, que realça “a excelente colaboração entre a FPC e a Câmara de Anadia”, traduzida, por exemplo, no protocolo que cedeu por cinco anos à Federação o Anadia Sports Center, onde funciona a Academia Nacional de Ciclismo.

Antiga residência de estudantes transformada numa infraestrutura de apoio ao Centro de Alto Rendimento, o Anadia Sports Center funciona como sede das seleções nacionais da modalidade, dispondo de 32 camas, distribuídas por 16 quartos duplos, mais 32 camas instaladas numa camarata.

“O impacto do Velódromo e do Centro de Alto Rendimento na vida dos cidadãos de Anadia é visível todos os dias, embora difícil de contabilizar. O equipamento é a joia da coroa do concelho e está sempre ocupado com atletas, que ficam alojados nos estabelecimentos do município, fazem as suas refeições nos restaurantes da terra, animam o comércio local e levam longe o nome da Anadia”, resume o historiador Pedro Dias, entusiasta de ciclismo e diretor do Museu Vinho Bairrada.

Construir um Velódromo em Anadia, concelho onde permanecem abertas empresas de alguma dimensão ligadas às bicicletas como a histórica Esmaltina, era um “sonho antigo do então presidente da Câmara, Litério Marques, que tinha crescido a acompanhar as provas de ciclismo na pista do alcatrão do SDC, onde brilharam ciclistas como Joaquim Sousa Santos, Joaquim Andrade, Manuel Durão ou Venceslau Fernandes, que ao longo de décadas envergaram as cores do clube.

A oportunidade de cumprir o sonho surgiu com o QREN 2007-2013, que dispunha de verbas para a construção de equipamentos desportivos de alta competição. A autarquia cedeu os terrenos, avançou com quase três milhões de fundos próprios e apresentou uma candidatura bem-sucedida para um equipamento que representou um investimento de mais de 12 milhões de euros, financiado em 70 por cento através do Programa Operacional Valorização do Território.

A obra contou também com o apoio do Instituto do Desporto de Portugal (IDP), que financiou o projeto em 20 por cento.

O equipamento acolhe, ainda, um CAR das modalidades de Ciclismo, Esgrima, Judo, Ginástica, Trampolins e Desportos Acrobáticos.

O edifício tem uma área polivalente com 1.100 metros quadrados e o Centro de Estágios, destinado aos atletas e equipa técnica, dispõe de 16 quartos duplos e de um espaço adequado à preparação e recuperação de atletas, composto por balneários, Health Club, ginásios, gabinetes médicos, sala de aulas e sala de convívio, com cafetaria.

O Velódromo, que é gerido pela autarquia de Anadia e que tem um orçamento anual de cem mil euros, dispõe ainda de sala de reuniões, de sala de conferência, de gabinetes e de refeitório.

Voltar atrás